Blogs
cadastre-se para receber nossos alertas por email





Close
Beyond the Transaction: Every Transaction Has a Story
Compartilhar

Era digital: necessidade social e de negócios na América Latina

Por Daniel Cohen, head pagamentos emergentes Latin America & Caribbean, MasterCard América Latina e Caribe (LAC)

O mundo está se tornando digital. E a região da América Latina e Caribe (LAC) é uma das que lideram esta revolução.

O mercado “móvel” latino-americano é o quarto maior no mundo, com quase 326 milhões de pessoas usando smartphones ou outros dispositivos móveis. A maneira como a população os utiliza também encontra-se em processo de evolução, pois 54% dos usuários de smartphones na América Latina têm realizado compras móveis (ou ecommerce) por meio da Internet2; e cerca de 22 milhões de usuários novos3 planejam comprar via ecommerce em breve.

Mesmo aqueles que ainda não mergulharam no mundo digital estão pensando a respeito: 74% dos adultos na América Latina estão interessados em usar serviços móveis4, incluindo serviços bancários e carteiras digitais. Além disso, estima-se que o número de consumidores latino-americanos que realizam pagamentos recorrentes com “cartões de crédito registrados” (card on file) cresça dos 23% atuais para 87% em um período de dez anos. A rápida adoção de serviços de instantâneos de recompensa/serviços com pagamento instantâneo como o Uber está alimentando a maior parte desse crescimento5.

Comerciantes e instituições financeiras que adotam a convergência digital em todos os pontos de contato têm uma enorme oportunidade de reforçar seus negócios e de se proteger contra dificuldades criadas por novos negócios que lhes ameaçam – incluindo milhares de companhias de tecnologia que estão entrando no mundo dos serviços financeiros.

Aqueles que não derem esse passo correm o risco de se tornar irrelevantes e limitados para competir na atual economia global dinâmica e hiperconectada.

América Latina: Além de Transações em Moeda e Cartão

Os consumidores querem aplicativos móveis inteligentes e de fácil utilização em todos os comércios; 77% esperam que a tecnologia ofereça uma experiência de compra mais conveniente6. Portanto, investir em plataformas digitais para realizar transações de formas mais simples pode ser muito lucrativo para as empresas na América Latina.

Portadores de cartões que regularmente fazem pagamentos digitais de diversos tipos gastam 10x mais7 do que os que não fazem. Claramente, atender estes compradores mais favorecidos pode ser um trunfo para empresas na América Latina.

Mas, como? Avanços tecnológicos – desde a computação em nuvem até a Internet das Coisas  – contribuem para difundir o comércio digital e torná-lo mais acessível. Cada dispositivo conectado – desde carros até geladeiras – é um dispositivo de comércio em potencial, e esta proliferação de plataformas digitais está mudando a maneira como os comerciantes vendem e como os consumidores compram.

No Peru, a Movistar, operadora de telefonia móvel, está fornecendo para 16 milhões de clientes o primeiro serviço de moeda eletrônica do país. Uma conta de moeda eletrônica vincula cartões Tu Dinero Movil (“A Sua Moeda Móvel”) a um número de telefone; e em seguida, por meio de seu telefone móvel, o usuário pode transferir recursos, fazer compras em loja, e reabastecer seus saldos – sem uma conta bancária.

O Brasil, onde as vendas de ecommerce cresceram 20% em 2014, foi o primeiro país da América Latina a oferecer o MasterPass™, a inovadora tecnologia de pagamento digital da MasterCard, por meio de apenas um clique. Ao armazenar com segurança os detalhes pessoais, endereços de cobrança e cartões favoritos, o serviço simplifica o ato de fazer compras em qualquer dispositivo móvel.

Ao conectarem os serviços móveis às tendências em compras, as empresas na América Latina podem até usar a convergência digital para começar um relacionamento com uma nova base de possíveis clientes – aqueles que tenham anteriormente sido excluídos financeiramente.

Eliminando as barreiras para a Inclusão Financeira

Empresas comerciais que adotam soluções digitais estão eliminando barreiras para a inclusão financeira que durante muito tempo têm impedido muitos na América Latina de participarem do mercado global.

De acordo com o World Bank8, cerca de 210 milhões de adultos na região não possuem contas bancárias. Sendo assim, eles correm mais risco de serem roubados ou de não poderem substituir valores perdidos. Além disso, muitas vezes viajam longas distâncias ou permanecem na fila para pagar contas, limitando sua produtividade e seu potencial de rendimentos.

Por um lado positivo, o número de pessoas sem contas bancárias tem diminuído substancialmente. Atualmente, cerca de 51% dos adultos na América Latina têm uma conta bancária em comparação com apenas 39% de quatro anos atrás9. O acesso facilitado a recursos – como pagamentos digitais por meio de um telefone móvel ou por um terminal na loja – acelera o envolvimento total na economia digital.

Inúmeros estudos têm demonstrado que pagamentos de salários ou assistência governamental de maneira digital abrem a porta para a inclusão financeira. Quando os governos, varejistas e instituições financeiras ampliam suas ofertas de serviços digitais, o impacto é imediato – e substancial.

Por exemplo, na Colômbia10 três milhões de pessoas estão recebendo benefícios da previdência social de forma eletrônica. Isso contribui para que eles economizem e paguem contas de uma maneira segura e eficiente, ajudando, portanto, a reduzir o índice de pobreza.

Outras manifestações de convergência digital beneficiam as pessoas marginalizadas financeiramente, particularmente as mulheres. Na América Latina, 23% das mulheres são proprietárias de pequenas empresas 11. Para muitas delas, localizadas em áreas rurais, a possibilidade de competir em posição de igualdade fica prejudicada pela falta de acesso a serviços bancários.

Tais dificuldades são reduzidas no México, onde o banco BANSEFI utiliza pagamentos eletrônicos para transferir benefícios sociais. A maior parte das pessoas que recebem esses serviços são mulheres, portanto o programa está dando a muitas – pela primeira vez – a oportunidade de depositar recursos, economizar e se envolver em outras transações financeiras.

Empresas que oferecem soluções de comércio digital omni-channel de fácil utilização e seguras estão respondendo às necessidades dos consumidores em busca das melhores experiências.

Na América Latina e em qualquer outro lugar tornar-se digital é fundamental para permanecer no mercado em um mundo sempre conectado e em franca evolução.